Dicas

Se você acorda e os músculos da sua mandíbula estão doloridos ou com dor de cabeça, você pode estar sofrendo de bruxismo – um ranger ou um forte apertar dos dentes.

O bruxismo pode fazer os dentes ficarem doloridos ou soltos, e, às vezes, partes dos dentes são literalmente desgastados. Eventualmente, o bruxismo pode acarretar a destruição do osso circunvizinho e do tecido da gengiva.

O Bruxismo também pode levar a problemas que envolvam a articulação da mandíbula, como síndrome da articulação têmporo-mandibular (ATM)

Como Saber Se Tenho Bruxismo?
Para muitas pessoas, o bruxismo é um hábito inconsciente. Estas pessoas podem nem mesmo perceber que estão fazendo isto, até que alguém comente que elas fazem um horrível som de ranger de dentes enquanto estão dormindo. Para outras pessoas, é quando fazem um exame dental rotineiro e descobrem que seus dentes estão desgastados ou o esmalte de seu dente está rachado.

Outros potenciais sinais de bruxismo incluem dor na face, na cabeça e no pescoço. Seu dentista é capaz de fazer um diagnóstico preciso e determinar se a origem da dor facial é causada por bruxismo.

Como o Bruxismo é Tratado?
O tratamento apropriado dependerá do que está lhe causando o problema. Fazendo perguntas apropriadas e examinando detalhadamente seus dentes, seu dentista pode lhe ajudar a determinar se a fonte potencial de seu bruxismo.
Com base no grau dos danos causados a seus dentes e a causa provável, seu dentista poderá sugerir:
O uso de um dispositivo quando dormir. Feito sob encomenda pelo seu dentista e ajustado aos seus dentes, o dispositivo encaixa-se sobre os dentes superiores e os protege de se triturarem com os dentes inferiores. Apesar de o dispositivo ser uma boa maneira para lidar com bruxismo, ele não é uma cura.

Encontrando meios de relaxamento. A tensão cotidiana parece ser uma das causas principais do bruxismo, e não importa o que seja que reduza a tensão, pode contribuir – ouvir música, ler um livro, fazer um passeio ou tomar um banho. Procurar alguma terapia auxiliará no aprendizado de meios eficazes de controlar situações estressantes. Adicionalmente, se aplicar uma toalhinha morna e molhada no lado de sua face isto poderá ajudar a relaxar os músculos doloridos devido à pressão exercida.

Reduzindo a “exposição” de um ou mais dentes para igualar sua mordida. Uma mordida anormal, no qual os dentes não se ajustam bem, também pode ser corrigido com restaurações, coroas ou ortodontia.

Qual a maneira correta de usar o fio dental?
Quando usado corretamente, o fio dental remove a palca bacteriana e os resíduos de alimentos das áreas onde a escova dental não tem acesso fácil, como, por exemplo, a linha da gengiva e as áreas entre os dentes. O uso diário do fio dental é altamente recomendável uma vez que a placa bacteriana pode levar ao aparecimento de cáries e doenças gengivais.

Para usar o fio dental de maneira correta faça o seguinte:
Enrole aproximadamente 40 centímetros do fio ao redor de cada dedo médio, deixando uns dez centímetros entre os dedos.
Segurando o fio dental entre o polegar e indicador das duas mãos, deslize-o levemente para cima e para baixo entre os dentes.
Passe cuidadosamente o fio ao redor da base de cada dente, ultrapassando a linha de junção do dente com a gengiva. Nunca force o fio contra a gengiva, pois ele pode cortar ou machucar o frágil tecido gengival.
Utilize uma parte nova do pedaço de fio dental para cada dente a ser limpo.
Para remover o fio, use movimentos de trás para frente, retirando-o do meio dos dentes.

Que tipo de fio dental devo usar?
Há dois tipos de fio dental:
Fio de nylon (ou multifilamento) e Fio PTFE (monofilamento)
Existem no mercado fios dentais de nylon, encerados ou não, com uma grande variedade de sabores. Como esse tipo de fio é composto de muitas fibras de nylon, ele pode, às vezes, rasgar-se ou desfiar, especialmente se os dentes estiverem muito juntos. Embora mais caro, o fio de filamento único (PTFE) desliza facilmente entre os dentes, mesmo com pouco espaço, e não se rompe. Usados de maneira adequada os dois tipos de fio removem a placa bacteriana e os resíduos de alimentos.

O tratamento, quando a causa está relacionada ao apertamento dentário, consiste em fazer uma placa acrílica que é colocada sobre os dentes, geralmente na arcada superior, e o paciente é orientado a usá-la por um determinado tempo, variando conforme o grau de intensidade da dor, disponibilidade de uso, e principalmente sob a orientação de enquanto estiver com o aparelho , nunca morder ou apertá-lo pois isto gera mais tensão e ao invés de melhorar pode piorar ainda mais o quadro doloroso.

Existem várias causas da dor de cabeça, como também existem diferentes dores com diferentes modos de apresentação. A que nós estamos nos referindo são aquelas dores que você já percebe que ela está presente logo depois de acordar, ou mesmo depois de um dia tenso, desgastante. Deve-se realizar uma avaliação completa, eliminando todas as possibilidades, pois as dores de cabeça podem possuir diversas causas, até mesmo uma combinação dos gatilhos que a provocam. Muitas destas dores geradas por tensão muscular e apertamento dentário passa imperceptível a quem o faz.

Cabe ao dentista mais experiente, durante o exame clínico, perguntar sobre possíveis dores de cabeça, saber diagnosticar e possivelmente tratá-las ou encaminhar ao médico quando o diagnóstico é diferente deste que estamos mencionando.

O relaxamento da musculatura envolvida na mastigação através de bolsas de água quente, exercícios de alongamento (tanto do pescoço quanto dos músculos faciais) ajudam e muito para a melhora dos sintomas. Até a mudança de travesseiro, sob orientação, deve ser cogitada, pois não adianta tratarmos os sintomas sem identificar a real causa do problema.

Faça uma boa avaliação com um profissional experiente, com especialidade em DTM, ortodontia ou rebilitação oral.
Uma boa orientação quanto a alimentação, cuidados e postura já ajudam muito a conseguir os objetivos tão almejados para aqueles que não conseguem ficar livres das dores de cabeça por apertamento dentário e tensão muscular.
Porque felicidade começa com um sorriso.

Não é fácil decidir qual o tipo de escova usar, já que o mercado oferece inúmeros tipos, formas e tamanhos. Contudo, lembre-se de que:
A maior parte dos dentistas concorda que as escovas macias são mais eficientes para remover a placa bacteriana e os resíduos de alimentos. De preferência, a escova deve também ter cabeça pequena para poder mais facilmente alcançar todas áreas da boca, como, por exemplo, os dentes posteriores.

Com relação ao tipo de cabo (por exemplo, flexível ou não), formato da cabeça da escova (retangular, cônica, etc.) e estilo de cerdas (com pontas planas, arredondadas, em diferentes níveis, etc.), escolha o que for mais confortável para você. O importante mesmo é usar uma escova que se ajuste bem à sua boca e alcance todos os dentes.
Para muitas pessoas, especialmente aquelas que têm dificuldades para escovar ou destreza manual limitada, a escova elétrica é uma boa alternativa, porque limpa melhor os dentes.

Quando devo trocar minha escova dental?
Troque sua escova de dentes a cada três meses ou quando perceber que ela começa a ficar desgastada. Além disso, é muito importante trocar de escova depois de uma gripe ou resfriado para diminuir o risco de nova infecção por meio dos germes que aderem às cerdas.

Muitas são as causas do mau hálito. O incômodo pode ser provocado por cáries, alimentos condimentados, uso de drogas e até estômago vazio. Ao acordar é comum o mau hálito matinal. Ele é causado por um longo período em jejum durante o sono. No caso, se dá uma baixa produção de saliva e as células epiteliais se descamam e ficam na boca, provocando o odor desagradável. A ingestão de alimentos age como um detergente natural, eliminando essas células mortas.

Ao longo do dia, mesmo após a ingestão de alimentos, outros fatores podem ocasionar o mau hálito. Cáries, lesões na boca, rinites, faringites e amigdalites são alguns desses fatores. Para prevenir o mal, além de uma alimentação saudável, rica em verduras, legumes e frutasé essencial a correta pratica da higiene bucal.

Uma das recomendações é usar um limpador de língua sempre após a escovação dos dentes. O apetrecho retira a saburra, muco da língua, eliminando o mau hálito. Além, é claro, é fundamental o uso de fio de dental durante a escovação

O piercing dental é uma jóia muito usada por várias pessoas de qualquer idade, não agride a estrutura do dente pois este é colado com adesivo e resina, é colocado em consultório odontológico pelo profissional, sem causar danos ao dente.

Radiografia Periapical

Indicada para o estudo radiográfico do órgão dentário, região periapical e estruturas contíguas. Por meio dessa radiografia podemos pesquisar:
– processos de cáries.
– excesso ou falta de materiais restauradores.
– relação entre dentição decídua e permanente.
– mineralizações e nódulos pulpares.
– reabsorções radiculares internas e externas.
– anomalias dentárias.
– lesões periapicais e outras patologias ósseas.
Radiografia Panorâmica
A Radiografia Panorâmica nos dá uma visão geral dos maxilares, sendo utilizada em todas as especialidades. Nesta incidência, observam-se:
– dentes presentes, presença de cáries extensas, processos patológicos no periápice.
– grau de desenvolvimento dental, posicionamento dos dentes, a relação do dente permanente com o dente decíduo, presença de patologia do folículo.
– presença de reabsorções ósseas alveolares.
– característica do trabeculado ósseo da maxila e mandíbula.
– posicionamento dos reparos anatômicos.
– pesquisa de raízes residuais, fraturas ósseas, patologias.
– acompanhamento de tratamentos endodônticos e ortodônticos.
– preservação de tratamentos cirúrgicos
Radiografia Panorâmica com traçado para Implante

A partir da radiografia panorâmica, é feito o traçado anatômico (seios maxilares, fossa nasal, rebordo alveolar superior e inferior, canais mandibulares e base da mandíbula) e mensurada a altura para colocação de implantes.
Observa-se a ampliação de 30% previsível do exame radiográfico panorâmico.
Técnica de Clark

Indicada para a localização de dentes inclusos, estruturas anatômicas e corpos estranhos. A técnica consiste na realização de radiografias intrabucais, alterando a angulação horizontal (ortorradial, mesiorradial e distorradial).

A Analgesia Inalatória ou Sedação Consciente com Óxido Nitroso e Oxigênio é a técnica mais antiga e segura empregada em vários países há mais de 160 anos, e no Brasil desde a década de 50.

O objetivo principal da analgesia é minimizar os efeitos do medo, stress e da ansiedade e tensão relacionados ao tratamento odontológico. Portanto indicada para pessoas fóbicas, temerosas, tensas e ansiosas, bem como para indivíduos com alterações sistêmicas como: diabetes, cardiopatias, asma, epilepsia, Parkinson, AVC, transplantados, problemas renais e hepáticos, etc.

Sua aplicação, por profissionais habilitados, é completamente indolor, totalmente segura. A pessoa permanece consciente e participativa, porém relaxada e tranquila. Não necessita de acompanhante pois a recuperação é total e ocorre em menos de 5 minutos após finalizada a aplicação .